As tecnologias imersivas e seus benefícios para o planejamento pedagógico

Atualizado: 22 de abr.



Com o mercado educacional em constante evolução, é preciso estar sempre atento às novidades que são boas apostas para uma educação de qualidade.


Todo bom gestor sabe que a tecnologia foi fundamental para dar continuidade às aulas durante a pandemia, e não há como negar que esses recursos chegaram para ficar e que não há um caminho de volta ao modelo tradicional de ensino.


Em conjunto com essas mudanças, as demandas dos alunos do ensino infantil e básico, que nasceram em uma era com grande ascensão tecnológica, também necessitam de maior atenção, já que possuem maior probabilidade de dispersão e falta de engajamento com os conteúdos propostos.


Então, as escolas que reconhecem que essas metodologias ativas são parte importante da realidade dos alunos daqui em diante já estão um passo à frente da concorrência e das instituições que estão paradas no tempo.


As tecnologias imersivas estão ganhando espaço no cenário educacional como uma assistência pedagógica, que além de oferecer recursos de aprendizagem próprios da BNCC, também proporcionam aspectos como autonomia e maior facilidade na absorção dos temas estudados.


A seguir, você irá conhecer os benefícios dessas inovações para o planejamento pedagógico da sua escola.


Continue a leitura!


gif

Tecnologias imersivas: o que são?


A principal função de um sistema de imersão é a intencionalidade de fazer com que o estudante interaja ativamente com o ambiente digital.


Temos dois caminhos de referência: a realidade aumentada e a realidade virtual.


A Realidade Virtual (RV) diz respeito aos equipamentos adaptados para imersão em uma experiência diferente da real. O aluno interage com uma simulação em um contexto 3D, gerado por um computador.


Alguns exemplos de objetos utilizados são os óculos 3D, luvas, controles e sensores de movimento capazes de oferecer experiências reais, e até mesmo permitir reações emocionais.


A Realidade Aumentada (RA), por sua vez, se refere à uma sobreposição digital e utiliza a adição de imagens e gráficos. Um exemplo disso é o jogo Pokemon Go, sucesso entre todas as gerações, que pratica a interação com a realidade existente.


Essas novas perspectivas tecnológicas vem ganhando espaço em muitos setores, e na educação não poderia ser diferente. Afinal, são ferramentas capazes de criar um ambiente interativo, que estimula e envolve os estudantes.


Quando articulado com as propostas da escola, elas tornam o ensino muito mais atrativo e promovem um aprendizado de qualidade.



Por que é importante utilizar tecnologias imersivas na educação infantil e básica?


Uma questão relevante levantada é a sua capacidade de permitir que o aluno experiencie seu próprio aprendizado, proporcionando a oportunidade de aplicar conceitos na prática, além de experimentar outros ambientes no mundo virtual.


Mas os benefícios não envolvem apenas os estudantes: os professores também são contemplados com essas novidades.


Com elas, é possível elaborar e executar o planejamento com mais recursos, utilizando diversas metodologias que facilitam a imersão nos conteúdos. Podemos dizer que os educadores ganham um bom e eficiente apoio pedagógico.


Outra qualidade relevante é a sua função de assertividade, que possibilita o controle por parte dos docentes sobre o desenvolvimento dos discentes. É possível verificar com exatidão o que cada um desenvolveu durante a navegação.


Isso facilita saber quais são as áreas de maior dificuldade pela perspectiva de cada estudante, além de realizar um acompanhamento mais dinâmico e específico, em tempo real.



A imersão no ensino personalizado


Também podemos associar essas inovações às diferentes situações que os educadores abordam diariamente, como a dificuldade em trabalhar a singularidade de cada aluno.


Sabemos que cada um possui seu próprio estágio e ritmo de aprendizado, e por isso, possuem necessidades diferentes.


Essas metodologias podem ser adaptadas para cada caso, visando melhorar a adesão dos temas pré-definidos pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC).


E é total responsabilidade do gestor oferecer a melhor experiência de aprendizagem, e nesse cenário, a personalização do ensino é a maneira mais eficaz de dar a assistência necessária.


Além disso, há uma maior facilidade em atualizar e adaptar os materiais e conteúdos digitais do que geralmente acontece com os produtos físicos.


Temos um artigo que fala especialmente sobre os benefícios do ensino personalizado para a sua gestão.


Acesse agora mesmo!




Oferta de autonomia ao aluno


Com tanta novidade no mercado educacional, os modelos tradicionais de ensino perderam a eficácia e as salas de aulas precisaram de uma repaginada.


Ao contrário do que muitos gestores pensam, esse não é um ponto negativo trazido pela nova era tecnológica e estimulada pelo período de EAD. Aliás, aqueles que se negaram a aceitar essas mudanças se deparam com muitos prejuízos pelo caminho.


A tecnologia trouxe a possibilidade dos estudantes serem sujeitos ativos em sua própria construção de conhecimento, incentivada pela autonomia sobre os conteúdos do planejamento.


Se nos basearmos na Realidade Aumentada (RA), por exemplo, o aluno simula situações em um ambiente controlado e vivencia a aprendizagem experiencial, consolidada pela orientação e apoio dos professores.


Essa experiência imersiva, capaz de melhorar as habilidades de aprendizado, facilita a compreensão de temas e conceitos mais complexos, proporcionando entendimento e retenção das informações de forma mais eficaz.


A sensação de “estar presente” e o consequente contato com os materiais disponibilizados em um ambiente específico gera envolvimento com os temas e facilita a compreensão.



Tecnologia na educação: quais são as tendências para o futuro?


Não é difícil perceber que as maiores tendências educacionais já estão entre nós e que estes são recursos tecnológicos muito eficazes no que diz respeito ao ensino-aprendizagem das escolas.


Se você é um gestor que duvida disso, é hora de parar e pensar no que você deseja para sua gestão e para o futuro da sua instituição.


Muitos concorrentes estão disparados à frente, pois já aderiram diferenciais competitivos adequados às suas propostas pedagógicas.


A educação do futuro chegou e é preciso estar por dentro das oportunidades de se destacar no mercado.


As metodologias ativas permitem que o estudante seja o centro do seu processo de conhecimento, e esse protagonismo é responsável por gerar sentimentos de confiança, responsabilidade e empolgação com as atividades.



Jogos educacionais


Durante a pandemia e até mesmo durante o ensino presencial, vemos que a atenção dos estudantes é facilmente perdida quando eletrônicos entram em questão.


O fácil acesso aos dispositivos móveis dificulta o engajamento nas aulas e consequentemente a absorção da aprendizagem.


Disputar a atenção das crianças com celulares é, sem dúvidas, uma tarefa cansativa e desanimadora para a maioria dos docentes.


Uma vantagem tecnológica que está revolucionando as formas de ensinar e aprender proporciona engajamento, qualidade de ensino e alunos protagonistas, tudo em um só momento.


Muitos jogos educacionais são produzidos baseados na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que em estratégias devidamente alinhadas com as propostas pedagógicas da escola, oferecem ótimos recursos de estudos.


Essa inovação, também conhecida como gamificação, assegura o engajamento do aluno em conteúdos específicos para a sua fase de aprendizagem. Aprender enquanto se diverte é uma ótima forma de inovar as aulas.


Algumas plataformas também oferecem total controle dos pais e da instituição em relação ao tempo de uso e desenvolvimento das atividades.



Elas também possibilitam que os professores acessem e insiram provas e atividades personalizadas através de uma dashboard com diversos recursos, como relatórios e andamentos de atividades por turma.


Outra possibilidade é a adição de provas, quizzes e desafios personalizados para cada grupo de alunos, tudo controlado e organizado pelos docentes.


Essa ferramenta é um grande diferencial competitivo no momento de captação e retenção de matrículas, pois abrange todos os aspectos requeridos pelos pais: engajamento, desenvolvimento cognitivo, aprendizagem e entusiasmo ao aprender!



Uma coisa é certa: negar que a tecnologia é parte importante no processo de ensino-aprendizagem nos dias atuais é um erro grave dos gestores que se negam à aderir mudanças.


É necessário estar atento a tudo que facilita e melhora o engajamento dos discentes com as aulas. Esteja aberto às novidades no mundo educacional e veja sua escola disparar no mercado!



Gostou do conteúdo? Preparamos outros temas que tenho certeza que você vai adorar!

Acesse agora mesmo!




15 visualizações0 comentário