A robótica educacional como ensino complementar



Em um mundo cheio de novidades, as novas gerações precisam de inovações e dinâmicas diversificadas que estimulem a construção dos seus conhecimentos.


A robótica educacional é uma abordagem multidisciplinar que potencializa o aprendizado e favorece o envolvimento dos alunos em atividades específicas, desenvolvendo habilidades de diferentes disciplinas através da criação de projetos.


Esse método contribui e facilita a aprendizagem ativa, permitindo que o professor seja um mediador das tarefas nas salas e laboratórios.


Se você deseja saber mais como funciona a robótica na educação, continue a leitura!


gif

O que é a robótica educacional?


Essa abordagem de estudo consiste em focar na pesquisa e na construção de conhecimento através de uma máquina. Assim, o levantamento dos conteúdos é determinado pelos próprios estudantes, e o trabalho do docente é orientá-los durante o processo de produção.


A intenção é que eles sejam incentivados a participarem do campo científico, utilizando aspectos do cotidiano para a criação de projetos.


A robótica é uma técnica muito interessante quando pensamos em aplicá-la em diversas áreas do conhecimento, justamente por seu alto poder de multidisciplinaridade.


Imagine uma atividade que possibilita o uso de termos matemáticos e científicos, que podem envolver questões da língua portuguesa, ao mesmo tempo que emprega a tecnologia como suporte em um aprendizado tangível.


Muitas pessoas imaginam a produção de um robô de forma complexa e avançada, e no entanto, ao falar sobre robótica também incluímos simuladores, softwares e desenvolvimento de jogos.


Durante a construção da máquina ou da manipulação de simuladores, os alunos têm contato com motores, sensores e mecanismos responsáveis pelo comando dos dados fornecidos, de acordo com a tarefa orientada.


No que diz respeito à elaboração concreta de um produto, é necessário o uso de kits prontos de montagem ou da transformação de outros materiais, como sucata e objetos recicláveis que possam compor as peças do robô, com estes sendo controlados por uma placa que realiza a programação e o funcionamento dos modelos.



A robótica no engajamento e autonomia do aluno


Novos tempos exigem novas formas de educar, e nesse cenário, a tecnologia chegou para transformar diversas áreas da educação.


A robótica trabalha aspectos importantes no processo de evolução dos conhecimentos dos estudantes, além de ser um método que auxilia os professores no andamento das aulas práticas.


Seu alto poder de incentivo à formação da autonomia a partir de uma ação, faz do estudante um sujeito ativo em suas experiências de descobertas.


Levando em consideração que cada indivíduo aprende de uma maneira diferente, temos a robótica como um facilitador da aprendizagem personalizada.


Caso a escola opte pelo modelo tradicional, sem novas metodologias, provavelmente haverá déficit no ensino e necessidade de apoio pedagógico.





Quando outras abordagens são utilizadas durante as aulas, fica mais fácil de atingir o máximo potencial de cada um. Com o aluno feliz e satisfeito com as propostas pedagógicas ao mesmo tempo que experimenta suas descobertas, ele fica mais aberto a aprender e a desenvolver suas atividades.


Nesse caso, sua perspectiva de aprendizado na prática facilita a absorção dos conteúdos e favorece o engajamento com abordagens divertidas e atrativas, atuando também com o objetivo de formar indivíduos mais proativos.



Como as aulas funcionam?


As aulas normalmente são realizadas em laboratórios com a utilização de kits de robótica, produzidos para a finalidade pedagógica, com sucatas ou uso de softwares, como dito anteriormente.


Sua intenção é facilitar a instrução de disciplinas, aplicando-as em diferentes contextos. É comumente aplicado com conhecimentos de exatas, mas também é possível trabalhar contextualizando matérias como a língua portuguesa, história, geografia, entre outros, adicionando uma abordagem referente à matéria.


As dinâmicas das aulas variam de acordo com a proposta da instituição, e podem ser adaptadas ao intuito de cada uma.


Por isso, é importante que haja um planejamento prévio para determinar quais serão os objetivos a curto e a longo prazo do uso dessa inovação, e como ela poderá ser implantada nas aulas.

Um exemplo de conteúdo que pode ser trabalhado dentro de um planejamento de aulas de robótica é o funcionamento de semáforos e postes de luz, envolvendo questões sobre sensores de luminosidade e ambientes virtuais.



Afinal, quais as vantagens da robótica para a sua escola?


A partir de agora, a educação conta com a ajuda da tecnologia para intensificar a qualidade do ensino nas escolas, e a robótica é uma grande aliada no dia a dia.


Listamos alguns benefícios importantes para o processo de ensino-aprendizagem:


  • É um método multidisciplinar: além de permitir o aprendizado prático, um dos seus principais benefícios é o poder de multidisciplinaridade, relacionando as áreas de matemática e física com outros assuntos, até mesmo questões sociais. Sua estrutura também envolve os conhecimentos de programação e eletrônica. Embora seja comum pensar nessa metodologia como um assunto inteiramente associado às questões computacionais, nela podem ser trabalhados inúmeros outros assuntos.


  • Contribui para o raciocínio lógico: outra qualidade é o estímulo do desenvolvimento do raciocínio lógico do estudante, já que exige o pensamento de forma estruturada através do contato com a linguagem da programação, além da relação com a necessidade da resolução de problemas.


  • Incentiva o protagonismo do aluno: estar à frente do seu próprio ritmo do conhecimento fortalece a efetivação do ensino, uma vez que o indivíduo se envolve ativamente naquela função. Além de facilitar o aprendizado, também os motiva a se comprometerem com o planejamento da escola.


  • Currículo escolar mais atrativo: diferenciais competitivos sempre são bem vistos em épocas de campanhas de matrículas. Isso ajuda a escola a se destacar dentro do mercado e intensifica a captação de matrículas. Utilizar os conhecimentos de diversas disciplinas ao mesmo tempo, enquanto o estudante se diverte em uma atividade prática e dinâmica, faz com que o currículo se torne mais atrativo. A tecnologia, com todas as suas funções, é capaz de oferecer diferenciais que complementam o programa pedagógico escolar.


Como é possível se preparar para introduzir a robótica nas escolas?


Como educador de escola particular, você já deve saber que especializações são importantes, ainda mais quando pensamos na esfera tecnológica, que cada vez mais ganha espaço.


Se deseja ter bons resultados tanto na carreira quanto no andamento das aulas, pense em se especializar em robótica educacional, que já é considerado bem aquecido, e sem dúvidas trará ótimos resultados.


Oferecer treinamento aos professores envolvidos no projeto também é uma boa estratégia. Essa técnica também promete ajudá-los a agir como tutores e mediadores dos conteúdos, deixando de lado o modelo tradicional de ensino que consiste em aulas meramente expositivas, sem interferir diretamente no trabalho dos alunos.


Em relação aos materiais utilizados, a escola pode optar pela contratação de empresas fornecedoras dos kits especiais, que são os materiais que formarão as estruturas dos robôs, ou selecionar materiais alternativos, como as sucatas.


Novas gerações exigem adaptações do sistema educacional para que o aprendizado seja efetivado, já que os estudantes tendem a estarem cada vez mais dispersos aos conteúdos e conectados a outros meios tecnológicos.


Por isso, é indispensável que as instituições busquem formas de inserir metodologias ativas que facilitem a compreensão dos conteúdos, ao mesmo tempo que motivam os estudos.



Gostou do conteúdo? Aproveite para conferir outros assuntos que vão te ajudar a transformar a educação! Acesse agora mesmo:






38 visualizações0 comentário